SALINIDADE, ESTIMATIVA DA DESCARGA E TEMPO DE RESIDÊNCIA DA LAGOA DOS PATOS

 

Esta etapa do projeto está baseada em medições de parâmetro físico-químicos no ELP e na aplicação de técnicas de modelagem numérica. No que diz respeito às medições, dois tipos estão previstos: a) fundeios para a obtenção de séries temporais e; b) cruzeiros a serem realizados ao longo da região estuarina. Desde outubro de 2003 o Laboratório de Oceanografia Física (LOcFis) do IO-FURG vem monitorando contínuamente na forma de fundeios, a salinidade e temperatura das águas do Canal de Acesso da Lagoa dos Patos. Na atual proposta, para

a obtenção das séries temporais, estão previstos: a) manutenção do fundeio de perfilador acústico de correntes (ADP SONTEK 1,0 MHz) e de dois termo-salinógrafos SBE 37 SM; b) instalação e manutenção de três termosalinógrafos (CT) SBE 37 SM ao longo do ELP. O ADP está instalado na profundidade de 15 m, máxima da área, e transmite em tempo real seus dados para um computador instalado na torre da Estação dos Práticos da Barra de Rio Grande. O ADP envia em intervalos horários os dados de níveis e de velocidade e direção de correntes obtidas em 10 células verticais de 1,5 m cada. Os dois CTs estão instalados em um cabo registrando dados nas profundidades de 1 m e 10 m. Com esta estrutura se tem uma avaliação instantânea, e ao longo do tempo, dos processos de entrada e saída de águas na Lagoa dos Patos. Os dados de perfil (ADP fixo) vem sendo transformados em vazão desde 2008. Entretanto, a realização de duas dragagens na área portuária, a última no primeiro semestre de 2012, alteraram significativamente o perfil batimétrico. Por isto, será necessário repetir o processo de transformação dos dados do ADP fixo em dados de vazão, em várias situações de ventos e de descarga fluvial com base em perfis transversais de velocidade de correntes com o uso de ADP SONTEK 1,5 MHz com traçador de fundo (“bottom tracking”), sobre a mesma secção onde está o ADP fundeado. O ADP, rebocado por uma embarcação de pequeno porte alugada para esta operação, estará conectado a um computador e as medições serão simultaneamente posicionadas através de um GPS Garmin. Estima-se realizar no mínimo 20 campanhas por ano, nos meses previstos para esta atividade.

  

A descarga de água será calculada através do método de velocidade de referência ou velocidade indexada, que considera a relação definida entre a velocidade em uma subsecção e a velocidade média na secção completa (Sloat & Hull 2004). O método a ser testado inicialmente considera os efeitos de fricção direta do vento na superfície do corpo de água (Wall et al. 2006). Considerando a proximidade do local Praticagem da desembocadura da Lagoa dos Patos, o volume estimado de água transportada através da secção nesta área será

considerado como o volume de água efetivamente trocado entre a LP e o oceano. Nele, estão incluídos os afluentes e, também, o balanço evaporação-precipitação sobre a área da Lagoa dos Patos. Com estes dados pode-se calcular o tempo de residência como função da relação entre os fluxos e o volume da região do estuário. As correlações entre fluxos e salinidade fornecerão o transporte total de sal distribuído para montante ou jusante do ponto. O conjunto de dados servirá para o desenvolvimento de modelos analíticos que possibilitem verificar tendências de longo prazo para municiar tomadores de decisões. Os três CTs serão instalados na área estuarina em locais a serem determinados de acordo com as condições de acesso e de segurança contra danos de equipamentos. Um deles será instalado na região da Ponta da Feitoria, aprox. 70 km de distância de Rio Grande, no município de Pelotas, considerada limite do estuário.

Estes equipamentos servirão para se analisar a propagação, intensidade e a duração dos processos de salinização das águas. Os eventos serão relacionados com os ventos medidos pela Estação da Praticagem e com a descarga medida através do fundeio instalado no Canal de Acesso.

 

A variação de material em suspensão, será estimada utilizando-se uma das saídas do ADP, a amplitude do sinal, como um índice de sua concentração. O sinal será calibrado com o uso de medidas diretas através de filtração de água e peso do material particulado (Strickland & Parosns 1972) e um turbidímetro aferido. A partir do perfil vertical da concentração de material em suspensão, a carga de sedimento trocada entre a laguna e o oceano pode ser estimada.